Sobre a Consciência Negra

Sobre a Consciência Negra

Em 20 de novembro é celebrado o Dia da Consciência Negra. Esse dia é dedicado à reflexão sobre os papeis dos negros e negras na sociedade brasileira e sobre os espaços de inserção dessas pessoas, sendo sobretudo uma data para dar enfoque à resistência negra em relação à escravidão imposta pelos portugueses e aos efeitos advindos. O movimento negro é protagonista dessas lutas desde a época colonial e teve diversas formações ao longo do tempo.

A data de 20 de novembro foi escolhida por ser o dia da morte de Zumbi dos Palmares, em 1695, um dos últimos líderes do Quilombo dos Palmares. Esse quilombo era uma comunidade formada por negros escravizados que haviam fugido das fazendas e chegou a ter cerca de 30 mil pessoas, sendo o maior do período colonial.

De acordo com Pinto (1993, apud DOMINGUES, 2007, p. 101),

movimento negro é a luta dos negros na perspectiva de resolver seus problemas na sociedade abrangente, em particular os provenientes dos preconceitos e das discriminações raciais, que os marginalizam no mercado de trabalho, no sistema educacional, político, social e cultural (PINTO, 1993, apud DOMINGUES, 2007).

Dessa forma, Domingues (2007) afirma que a raça atua como um fator de mobilização e organização em torno de causas defendidas pelo movimento negro. Ao longo dos anos, esses movimentos foram ganhando cada vez mais caráter político. O 20 de novembro tem também por objetivo nos mostrar que os negros não foram passivos na história do Brasil. Resistiram à escravidão e, após a abolição, lutaram e lutam ainda hoje para ter acesso aos direitos e oportunidades de maneira sempre mais igualitária.

Portanto, hoje é um dia não só de celebrações, mas de reflexões. Qual é o meu papel na sociedade? Estou contribuindo para que ela seja melhor? Trato as pessoas da mesma maneira independentemente de raça, religião, gênero? Elaboro reflexões sobre como cheguei até aqui, nesse emprego, nessa faculdade? Minha cor é associada a coisas boas ou a coisas ruins? Eu contribuo de que lado para essas associações positivas ou negativas?

Existe uma história do povo negro sem o Brasil, mas não existe uma história do Brasil sem o povo negro. Se você ainda acha que brancos/as e negros/as competem igualmente por vagas em universidades, de empregos e demais oportunidades, estes dados são importantes para pensarmos: de acordo com o Censo de 2010 do IBGE, 51% da população brasileira se define como negros (pretos e pardos), porém, 65% da população pobre e 70% da população extremamente pobre é composta por negros. Pobreza tem cor sim e isso não é coincidência.

Indico que leiam o folder do Cehmob-MG, do qual participei da equipe de produção. Esse material traz uma contextualização histórica de fácil entendimento, conceitua os principais termos utilizados, traz alguns dados e informa sobre doença falciforme e os percalços que os pacientes passam relacionados ao racismo.

Para quem quer passar por uma experiência diferente quando se trata do tema das relações raciais, indico que assistam ao vídeo “Vista Minha Pele”, dirigido por Joel Zito Araújo. Assistam, vale a pena!

 

 

Acredito que devemos todos, brasileiras e brasileiros, sermos conscientes de que o nosso país é composto por pessoas de todas as cores, jeitos e gostos e que todas elas devem ser tratadas com respeito e educação. Deixo aqui hoje toda a minha admiração à população negra por suas lutas, superações, arte, beleza, riqueza cultural e pela enorme contribuição  para a construção de nosso país, com tanto suor e sangue. Está na hora do Brasil retribuir!

Ninguém nasce odiando outra pessoa pela cor de sua pele, por sua origem ou ainda por sua religião. Para odiar, as pessoas precisam aprender, e se podem aprender a odiar, podem ser ensinadas a amar.

Nelson Mandela

 

Referências:

DOMINGUES, Petrônio. Movimento negro brasileiro: alguns apontamentos históricos.Tempo, Niterói, v. 12, n. 23, 2007. Disponível em http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-77042007000200007&lng=en&nrm=iso.

20 de novembro – Dia Nacional da Consciência Negra. Disponível em: http://www.brasilescola.com/datas-comemorativas/dia-nacional-da-consciencia-negra.htm. Acesso em: 10 de novembro de 2014.

SOBRE MIM

Comentar

×