Imagem pessoal e autoimagem: conheça o papel desses conceitos na sua felicidade!

Imagem pessoal e autoimagem: conheça o papel desses conceitos na sua felicidade!

 

Hoje falaremos de autoimagem, imagem pessoal e autoestima e entenderemos porque essas três palavrinhas podem ser motivo para tanto descontentamento. Esses conceitos estão entre os motivos mais recorrentes que levam as pessoas ao sofrimento consigo mesmas, à retração social e à queda de desempenho.

Primeiramente, vamos definir os termos.

Autoimagem é a imagem que fazemos de nós mesmos. Surge na interação da pessoa consigo mesma e com o seu contexto social, sendo, portanto, uma consequência proveniente das relações que a pessoa estabelece:

1) com ela mesma e

2) com os outros.

Imagem pessoal é a imagem que os outros têm da gente, a partir do que apresentamos para eles, é a “marca” que passamos. Percebam a interdependência desses conceitos: se eu tenho uma boa autoimagem, as pessoas de meu convívio provavelmente terão uma boa imagem pessoal minha, e por eles verem uma boa imagem pessoal minha, minha autoimagem consequentemente tende a ser melhor. É um sistema que se retroalimenta.
autoimagem imagem pessoalJá a autoestima é um sentimento que representa o valor (positivo ou negativo) que a pessoa atribui a si mesma a partir da autoimagem que faz (que também depende da imagem pessoal). É quanto alguém se aprecia. Existem outros elementos que afetam o sentimento de autoestima, por exemplo:

  • O modo como uma pessoa foi tratada pelos pais durante a infância (período em que a autoimagem e a autoestima são bastante modeladas)
  • Como é tratada na atualidade
  • A forma como os amigos e parceiros respondem a ela
  • A força das relações estabelecidas
  • As características de sucesso pessoal (dentro do que a pessoa define como sucesso)

São muitos aspectos, mas aqui estamos falando somente da autoimagem como formadora de autoestima. É central o seguinte: a autoestima também é proveniente de relações de interação estabelecidas consigo mesmo e com os outros. Por isso, podemos dizer que a autoimagem, a imagem pessoal e a autoestima são dinâmicas. Existem sim prevalências de determinados padrões, mas por depender de interações, sempre serão dinâmicas. São sinais de uma boa autoestima:

  • Apresentar autoconfiança
  • Reconhecer as próprias qualidades
  • Saber admitir limitações
  • Ser uma pessoa aberta e compreensiva
  • Possuir capacidade de superar adversidades
  • Capacidade de estabelecer relações sociais saudáveis
  • Ser uma pessoa crítica e construtiva
  • Não se abalar facilmente com situações
  • Ser coerente com os valores que acredita e defende (ter discurso e prática alinhados)

autoestimaExistem situações em que a autoimagem e a imagem pessoal não coincidem e a autoestima é muito baixa, como no caso de pessoas com anorexia. Em casos de depressão e autoestima baixa, uma das possibilidades de trabalho do psicólogo é apostar na melhora da autoimagem e da imagem pessoal. Assim, o foco é voltado para o estabelecimento de uma boa interação da pessoa com ela mesma e com os outros, mediante desenvolvimento de apresentação pessoal, habilidades sociais, comunicação verbal e não-verbal, entre outros aspectos.

Existem serviços de coaching de imagem, consultoria de imagem e a psicoterapia. Os dois primeiros são mais rápidos e focais, enquanto a psicoterapia vai estar atenta a outros fatores que podem estar envolvidos na demanda do cliente e provavelmente será mais longa e aprofundada. Uma boa utilização para os serviços de coaching e consultoria de imagem é para pessoas que estão entrando no mercado de trabalho e querem aprender a desenvolver uma boa imagem profissional.

Imagens de pessoas também são utilizadas no marketing e muitas vezes conceitos de beleza são formados e/ou reforçados por esse meio. Esses conceitos de beleza podem afetar a autoimagem e autoestima de muita gente, só para citar um exemplo, como quando todo mundo acha que bonito é ter cabelo liso e loiro. Essas regras são uma das piores coisas que já aconteceram à humanidade, pois unificam o conceito de beleza em uns poucos estereótipos e fecha às portas à diversidade de tons de pele, de estilos de cabelo, de formatos de corpo, de altura, de peso… E, dessa forma, leva muitas pessoas (especialmente mulheres, que são as mais socialmente cobradas de seguirem os estereótipos) à exclusão, ao sofrimento, a uma busca desenfreada por pertencer ao padrão posto custe o que custar. E muitas vezes custa a saúde e até mesmo a vida dessas pessoas. Precisamos sempre olhar criticamente para os padrões e trabalhar com afinco para desconstruí-los.

Para resumirmos e a conversa de hoje e concluir nosso pensamento, a imagem pessoal é formada, entre outras coisas, por:

  • Aparência
  • Vestuário
  • Modo de se portar
  • Tom de voz
  • Adequação das palavras/vocabulário ao contexto
  • Linguagem corporal
  • Higiene pessoal
  • Expressões faciais

A autoimagem e a imagem pessoal interdependem e são componentes da formação de uma boa autoestima. Então, um ótimo modo de melhorar a autoestima é cuidar da apresentação pessoal (indo a um salão e comprando roupas legais que você goste, por exemplo) e repensar aquilo que você incorpora como autoimagem (buscando um serviço de coaching ou psicoterapia). Mas a premissa básica para tudo isso dar certo é: todas as pessoas têm um jeito único de serem lindas! Busque o modo como você se sente bonita, autoconfiante, satisfeita e, sobretudo, feliz!

 

About the Author

Leave a Reply